Produto agiliza instalação de fibra até a casa do usuário (FTTH), com capacidade para até 16 assinantes e pode ser pré-conectorizada ou não. Com o lançamento, a empresa amplia o portfólio de produtos de infraestrutura para os provedores regionais.

A ampliação das redes ópticas até a casa dos usuários – residenciais ou corporativos – é a aposta da Redex para a Caixa de Terminação Óptica (CTO) que passa a ser comercializada em novembro. Com capacidade para até 16 assinantes, o dispositivo pode ser pré-conectorizado, ou seja, já com os splitters e adaptadores de conexão instalados, ou sem conectorização, sendo necessária a fusão das fibras em campo, com uso de máquina de fusão e outros acessórios. O foco da CTO é o mercado de provedores regionais, tanto aqueles ampliam sua infraestrutura como os que estão fazendo a transição da rede sem fio (rádio) para óptica.

 

A função da CTO é interconectar a rede principal dos provedores (backbone) aos cabos de derivação (tipo Drop) que chegam até o assinante. Para a interligação, a CTO deve ser instalada na rede aérea. O dispositivo é colocado em postes próximos e na vertical. A opção de cores – preta, branca, amarela, azul, verde, cinza e grená – também contribui para que os provedores organizem melhor suas redes.

 

Agilidade de operação em campo

O projeto da CTO foi pensado para facilitar a instalação em campo, o que explica seu tamanho compacto – 256 x 175 x 83 mm. Além de exigir pouco espaço, a caixa tem um design funcional, com tampa, base e bandejas articuladas. Para evitar acessos indevidos, o dispositivo possui mecanismo de tranca dedicada e pode operar com sistema de fusões com remontes. Tecnicamente falando, a CTO permite a instalação do tipo sangria para cabos até 18 mm de diâmetro e a derivação ou emenda para cabos até 21 mm de diâmetro.

 

“A CTO que estamos lançando ocupa um nicho intermediário, com o melhor custo-benefício do mercadoe qualidade técnica comprovada”, explica Alessandro Mazzafiori, diretor da Redex. A CTO da empresa obteve a homologação oficial pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), no último mês de outubro. Ele aposta na precificação como o fator de posicionamento de mercado – R$ 330/caixa. “Há equipamentos com preço menor, mas sem o mesmo desempenho e que podem comprometer a infraestrutura instalada dos provedores regionais”, argumenta. “Existem CTOs mais caras, mas cuja performance não se diferencia tanto da caixa que estamos trazendo”, complementa.

 

A nova CTO também complementa o portfólio da Redex na área de instalação de redes ópticas para provedores regionais. Antes da derivação usando as CTOs, os provedores podem ativar sua infraestrutura com as Caixas de Emenda Ópticas em quatro modelos já homologados pela Anatel.

Gostaria de receber nossas novidades no seu e-mail?